fbpx
Conhecendo o Google Analytics - Vero Contents

O Google é uma das marcas mais admiradas do mundo. A cada ano que passa, sua importância aumenta ainda mais. Isso se dá, principalmente, pela inclusão e integração de novas soluções. Portanto, todo mundo usa o Google, de alguma forma. Seja de forma pessoal ou profissional.

A ferramenta de busca do Google é a mais conhecida e responsável pelo grande sucesso da marca. Mas existem outras incríveis que devem ser exploradas.

Uma delas é o Google Analytics. E nesse artigo, vamos falar sobre ele. É uma ferramenta vital para análise. Assim, se for bem utilizada, trará informações essenciais para o planejamento de marketing na web.

A importância das métricas do Google Analytics

De nada adianta você colocar seu site no ar, se não souber o que acontece dentro dele. As origens de tráfego, por exemplo, nos ajudam a entender de onde vêm os visitantes. Podem ser as redes sociais, campanhas de email marketing, busca orgânica, links patrocinados, mídia online paga, referência ou tráfego direto.

Da mesma forma, temos informações sobre o comportamento do usuário. Além disso, o Google Analytics mostra diversos dados demográficos. Isso ajuda a entender quem é o visitante, onde ele navega dentro do site, além do número de acessos por página.

Assim, são muitas possibilidades para avaliação de possíveis mudanças em campanhas. Pode ser o fortalecimento de uma mídia em detrimento de outra. Ou então, a escolha de investimento em mídia paga ou em SEO. Enfim, entender o que se passa dentro do site ajuda a planejar para onde ir.

E tudo isso, de graça…

Como começar

Instale o Google Analytics no site. Para começar, acesse https://analytics.google.com e clique no canto superior direito, em “Criar uma conta”.

Digite a conta de email que será o login do Analytics. Essa conta não precisa, necessariamente, ser do Google (no caso, o Gmail). Aqui já fica uma dica: se você possui uma conta do Google Ads, integre-a com a conta do Analytics. Isso será muito importante para análise de campanhas. Outra dica é integrar o Google Search Console.

A conta do Analytics permite gerenciar várias URLs (sites ou blogs). Você pode compartilhar essas contas com outras pessoas. Isso ajuda muito no gerenciamento de contas de empresas. Crie acessos e gerencie o nível de permissões de cada usuário.

Com a conta criada, agora entram algumas informações básicas:

Nome da conta

A conta permite gerenciar diversos sites, então podemos usar aqui um nome genérico, mas que seja associado a uma empresa ou grupo. Por exemplo: “Analytics da Vero”. No nosso caso, gerencia tanto o site da agência, quanto outros sites que possuímos de negócios ligados à agência.

Por outro lado, você pode usar diversas contas no mesmo painel.

Nome do website

O nome está associado à análise de cada site. Por exemplo: “Site da Vero Comunicação” ou “Site da Vero Contents”. Note que são URLs diferentes. Então teremos gerenciamentos individuais para cada um. E todos dentro de uma mesma conta de Analytics.

Fuso horário

Configure corretamente o fuso horário. Dessa forma, você terá informações dentro de sua realidade.

Configuração do compartilhamento de dados

Siga o passo a passo e aceite os termos de compromisso. Na sequência, você terá acesso ao Código de Acompanhamento.

Contudo, no passo seguinte, você deverá ter um certo conhecimento de HTML. Insira o código do Google Analytics no código-fonte de cada página que você irá acompanhar, logo antes do fechamento da tag “head” (</head>).

Se você trabalha com WordPress, pode usar um plugin para fazer a implantação. Além disso, existe uma extensão para Chrome ou Firefox que permite avaliar se o código está instalado corretamente.

As métricas

Agora que você configurou a conta, temos que entender o funcionamento. No Google Analytics, as métricas são acessadas na aba “Público Alvo >> Visão geral”. 

Sessão ou visitas

As sessões ou visitas são o número total de visitas do site em determinado período de tempo. Esse intervalo é configurado de acordo com as suas necessidades. O gráfico irá mostrar a variação.

Note que essa informação mostra o total acumulado. Ou seja, se um mesmo visitante entrou mais de uma vez, suas visitas serão somadas ao total. É essencial entender essa métrica, pois “visitas” é uma métrica diferente de “visitantes únicos”.

Portanto, fique atento.

Usuários ou visitantes únicos

Como disse, esse número é diferente do número de sessões. O número de usuários ou visitantes únicos mostra quantas pessoas visitaram seu site. Assim, não leva em consideração os números repetidos de visitas de cada um.

Dessa forma, um visitante que acessa seu site todos os dias tem somente a primeira visita computada. Ele será um visitante único. As outras visitas acumuladas entrarão no número total de sessões ou visitas.

Essa métrica permite avaliar quantas pessoas novas acessam o site e quantas retornam. Para um blog, por exemplo, a fidelidade é essencial para avaliar a qualidade das postagens. Assim, sempre cheque se o número de visitantes únicos está dentro de seus objetivos.

Taxa de rejeição ou bounce rate

Outra métrica muito importante é a taxa de rejeição. Ela mostra quantas pessoas deixam o site após visitar uma única página. Dessa forma, esse número pode mostrar se seu site está interessante ou não. Ou então, se o público visitante é realmente quem você deseja.

A taxa de rejeição requer alguns cuidados na análise. Por exemplo: em um blog não é anormal que o bounce rate seja alto. O contrário de site institucional. Com diversas informações de serviços e produtos, pode ser muito ruim ter taxas de rejeição altas.

Assim, pudemos ver como é importante saber avaliar cada métrica.

Páginas por visita

É a média do número de páginas que um visitante acessa em seu site. Esse número mostra, entre outras coisas, o nível de interesse na navegação. Portanto, é essencial que o site traga uma boa experiência para o usuário.

Duração média da sessão

É o tempo médio gasto por um visitante. Essas duas últimas métricas dependem muito da quantidade de informação que o site possui.

O tráfego e os spams

Os spams podem estar presentes nas informações das fontes de tráfego. São páginas que não existem e fontes de tráfego desconhecidas.

Elimine essas informações indesejadas. As fontes de tráfego nos permitem entender de onde as pessoas estão vindo. Assim, é um item essencial para o planejamento. Para saber mais sobre as fontes de tráfego e os spams, dê uma olhada em nosso outro artigo.

Conclusão

Esse é um pequeno resumo sobre o Google Analytics. É recomendado que ele seja acessado diariamente. Quanto mais você mexer no painel, mais saberá analisar os dados.

A ferramenta permite que você entenda sua audiência. Mais do que isso, permite que você veja o que está funcionando e o que não está funcionando. E isso permite realizar ajustes. Afinal, marketing digital é experimentação, avaliação e evolução!

Gostou desse post? Cadastre-se para receber nossa newsletter e fique por dentro do marketing digital.

Conhecendo o Google Analytics
WhatsApp chat